Política de Cookies
quinta-feira, maio 30, 2024
Mais
    InícioVariedadesCasais que ficaram marcados na história

    Casais que ficaram marcados na história

    Cleópatra e Júlio César

    Sedutora e extremamente inteligente, Cleópatra sabia utilizar-se muito bem do poder que tinha. Em um plano audacioso e arriscado, ela enviou a si própria embrulhada dentro de um tapete, como presente a Júlio César. Após desenrolar-se do tapete, seu argumento foi ousado, ao dizer que havia ficado encantada com as histórias amorosas de César e assim queria conhecê-lo.

    Depois que ficaram juntos, Cleópatra, por ser esposa de Júlio César, era o assunto em evidencia de Roma. César ganhou muito dinheiro e comprou muitas casas, construiu um templo com a estátua de Cleópatra e um belo jardim para sua amada. Isto revelava o quanto era verdadeiro seu amor pela rainha do Egito.

    Já por dois anos em Roma, Cleópatra – aliada ao homem mais poderoso do mundo – tornou-se a mulher mais poderosa do mundo. Parecia certo que seu filho, Cesário, herdaria um império de grandeza similar ao conquistado por Alexandre, O Grande.

    Mas, a idéia de eliminar a república romana não agradou nenhum pouco o senado. César foi terrivelmente assassinado por inimigos políticos.

    Casais que ficaram marcados na história:J Julio Cesar e Cleópatra

    Napoleão Bonaparte e Josefina de Beauharnais

    Célebre pela rapidez das suas decisões, quando Napoleão é colocado à frente do exército do interior, é então que conhece Josefina de Beauharnais, uma crioula (crioula aqui quer dizer que era nativa do lugar, no caso dela, nascida na Ilha de Martinica), viúva de um general guilhotinado durante o Terror. Tem 32 anos, mais seis do que Bonaparte.

    Casam em 9 de Março de 1796. Ambos falseiam as idades para reduzir a diferença.

    Napoleão era muito ciumento e não ficava tranquilo quando a tinha de deixar sozinha para ir às batalhas, assim, ele lhe escrevia longas cartas, onde afirma seu amor à esposa com frases inflamadas: “Não sabes que sem ti, sem o teu coração, sem o teu amor, não existe para o teu marido nem felicidade, nem vida?…”, “Longe de ti as noites são longas, tristes e melancólicas. Junto de ti, desejo que seja sempre noite.”

    Casais que ficaram marcados na história:J Napoleão e Josefina

    Chopin e George Sand (pseudônimo)

    Fréderick François Chopin, músico e compositor polonês, viveu durante nove anos com a escritora e feminista francesa George Sand. Um romance um tanto tumultuado, pois possuíam personalidades opostas. Ele, era sonhador, introspecto, frágil e delicado, enquanto ela era impulsiva, ativista e gostava de se vestir com trajes masculinos.

    Ela, porém, além de sua companheira, foi uma grande incentivadora de seu trabalho, apoiando-o e ajudando-o em muitos momentos em que ele se encontrava em dificuldades.

    Ele a admirava por sua personalidade forte e força de espírito. Eram cúmplices em tudo e esse amor foi tão forte que, quando, de uma crise mais séria do casal, deu-se a separação, Chopin, já debilitado pela tuberculose, deixou-se morrer, desgostoso.

    Casais que ficaram marcados na história: Chopin e George Sand

    Lampião e Maria Bonita

    Maria Gomes de Oliveira, foi a primeira mulher a aparecer no cenário do cangaço. Ela casou-se aos 15 anos com um sapateiro, com quem vivia brigando. Durante uma das separações de seu marido, o que era constante, Maria Bonita conheceu Lampião e apaixonou-se. Lampião, nesta época, tinha quase 33 anos e Maria um pouco mais de 20. Esta paixão desenfreada os uniu até a morte.

    Tiveram uma única filha, Expedita Ferreira, nascida em 1932. Maria Bonita ocupava-se entre outras coisas a costurar a indumentária dos cangaceiros. Em alguns momentos, a intervenção de Maria Bonita impediu vários atos de crueldade de Lampião. Lampião e Maria Bonita formavam o casal mais unido e temido do sertão.

    Casais que ficaram marcados na história: Lampião e Maria Bonita

    John Nash e Alicia Larde

    O matemático John Nash, aos 21 anos de idade, formulou um teorema que provou sua genialidade. Nove anos depois, ele foi diagnosticado como esquizofrênico, mesmo assim, ganhou o Prêmio Nobel.

    Alicia foi aluna de Nash e se apaixonou pela genialidade e mistérios que envolvia a vida do professor.

    Durante o namoro e casamento, o casal enfrentou diversos problemas devido aos distúrbios psicológicos de Nash, seus delírios, alucinações e efeitos causados pelos remédios.

    Mesmo com todas as dificuldades, Alicia teve um filho e conseguiu ajudar o marido a superar todos os problemas para continuar trabalhando e pesquisando. Nash conseguiu superar os efeitos causados pela doença e ajudou a cuidar da família.

    A história de Nash deu origem ao filme “Uma mente brilhante” (A Beautifull Mind).

    Casais que ficaram marcados na história: John Nash e Alícia

    Shah Jahan e Mumtaz Mahal (origem do palácio Taj Mahal)

    O príncipe persa Shah Jahan era muito poderoso e namorador. Ele tinha um harém: mais de trezentas moças à disposição. A cada noite ele escolhia uma mulher diferente para namorar.

    Certo dia, quando estava com 21 anos, ele conheceu e se apaixonou por uma das jovens do harém, chamada Arjumand Begum. Depois disso, nenhuma das outras moças parecia fazê-lo feliz. O príncipe não queria mais ninguém, somente Arjumand.

    Shah Jahan e a bela moça se casaram em 1612, época em que o imperador a rebatizou de Mumtaz Mahal (A eleita do palácio). O casal teve 13 filhos, mas quando o 14º filho nasceu, ela não suportou as dores do parto e morreu.

    O príncipe se desesperou e quase morreu também, de tristeza e desgosto.

    Para abrigar o corpo de sua amada, ele decidiu construir um palácio. Ele convidou os maiores artistas e arquitetos dos impérios persa e mongol, encomendou mármore fino e branco das pedreiras locais, jade e cristal da China, turquesa do Tibet, lápis lazulis do Afeganistão, ágatas do Yemen, safiras do Ceilão, ametistas da Pérsia, corais da Arábia Saudita, quartzo dos Himalaias e âmbar do Oceano Índico.

    Surge assim o Taj Mahal, construído entre 1631 e 1648, sendo que Taj significa coroa e Mahal significa lugar.
    Posteriormente, o imperador foi sepultado ao lado de sua esposa, sendo esta a única quebra na perfeita simetria de todo o complexo do Taj Mahal.

    Após quase quatro séculos, milhões de visitantes continuam a visitar o mausoléu localizado em Agra, na Índia. As pessoas continuam a reter a aura romântica do lugar e a admirar a maior prova material de um amor verdadeiro.

    Casais que ficaram marcados na história: Shah Jahan e Mumtaz Mahal

    *Matéria escrita por Vanessa Guimarães

    Publicidadespot_img

    FAVORITAS

    Mais recentes