Política de Cookies
quarta-feira, junho 19, 2024
Mais
    InícioColunasCasa em HarmoniaComo fica o casamento com a atual mudança de paradigma?

    Como fica o casamento com a atual mudança de paradigma?

    Outro dia vi de relance um filósofo explicando que não estamos vivendo um processo evolutivo mas uma mudança de paradigma.

    Isso despertou em mim uma análise interessante: o processo evolutivo acontece quando aperfeiçoamos modelos que já existem e que vão se tornando cada vez melhores.

    Podemos dizer que os modelos de família se encaixam nesse olhar, porém, quando vemos a sociedade de hoje, percebemos que só novos modelos podem funcionar.

    Harmonia com a natureza: um sinal de mudança de paradigma

    Cada vez mais casais buscam a harmonia com a natureza pedindo consultorias para suas residências e me dizem que querem iniciar suas vidas com a harmonia que o Feng Shui Lógico proporciona. Sentem a necessidade de terem uma nova conexão com a natureza, conhecer o sol em suas casas e aprender a sua linguagem. Isso é novo! É um aumento da sensibilidade e da percepção de que fazemos parte de um Todo Maior.

    Quem buscaria hoje uma família do século passado, onde o sacrifício era aceito como necessário para manter os vínculos familiares?

    Amor é a energia mais benéfica que existe. Traz a sensação que preenche e aquece o nosso coração. O interessante é que o próprio amor, em seu sentido mais puro, nos conduz ao equilíbrio gerado pelo saudável amor a si mesmo e ao outro.

    Sem dúvida que compreensão, estar de acordo, vibrar juntos, saber conversar (ouvir e ser ouvido) exige maturidade emocional.

    Então o nosso entendimento sobre quem somos e o que necessitamos é a baliza para nossa aceitação do outro como ele é.

    Mas isso tem algo de novo?

    Primeiro, mesmo entendendo que o amor sempre teve essas bases, o autoconhecimento popularizou-se há pouco tempo. Porém muitos ainda que mesmo já tendo colocado o pé nessa estrada, ainda não tiveram esse encontro consigo mesmo. Eles estão no caminho, o que é algo bastante animador.

    Só a experiência do encontro com o amor pode nos ensinar. Não encontramos nos livros mas no sentir da plenitude de viver dentro de nós. Na integração de nossa mente com o nosso coração.

    Outra coisa: o preconceito era muito grande. Ainda existe mas diminuiu bastante.

    Para concluir, quanto mais pessoas conhecerem a si mesmas, sua natureza única, se aceitarem e portanto sentirem a delícia de serem verdadeiras, a ética surge naturalmente. Uma nova sociedade surge a partir desses novos indivíduos serem cada vez mais numerosos.

    Aprenderemos a interagir com a vida digital com domínio e o discernimento sobre o que queremos e o que não queremos para as nossas vidas.

    Conheceremos o valor da privacidade, de preservar nossa intimidade. Essa é a grande mudança de paradigma: não queremos mais “parecer” e sim “ser” em toda nossa plenitude.

    Cada casal que inicia sua vida em comum com essa visão terá muitas chances de poder dizer que o amor é a energia mais benéfica que existe e se sentirão nutridos em suas necessidades emocionais e sexuais mais íntimas.

    Cada um é único em sua forma de pensar e essa é a riqueza: um expandir sua visão através do acolhimento da visão do outro. Sem competição mas com muita união.

    Leia mais sobre o assunto: https://fengshuilogico.com/blog/2008/04/30/amor-nao-e-sinonimo-de-sacrificio/



    Forte abraço,

    Stela Vecchi

    Publicidadespot_img

    FAVORITAS

    Mais recentes