Política de Cookies
quinta-feira, maio 30, 2024
Mais
    InícioColunasNa Ponta do LápisVocê se relaciona bem com o dinheiro?

    Você se relaciona bem com o dinheiro?

    George Bernard Shaw diz: “É impossível progredir sem mudanças e aqueles que não mudam suas mentes não podem mudar nada”.

    Ter uma conversa aberta em relação ao dinheiro é uma das ações mais importantes como casal, pois tem a ver com o futuro que irão construir juntos, o que irão traçar como metas, proteção e reflete diretamente em tornar consciente o modelo mental de cada um.

    Sabe-se que modelo mental é a combinação de comunicação, pensamentos e sentimentos frequentes e corriqueiros de uma pessoa e que, juntos, produzem suas crenças. A boa notícia é que crenças podem ser alteradas quando alteramos um desses três canais neurológicos. Ufa, um alívio saber disso?

    Sim! Saiba que se você tem uma comunicação financeira negativa, suas crenças, ações e os seus resultados tenderão ao negativo. No livro “O jeito Harvard de ser feliz” Shaw explica que os sentimentos vêm antes das realizações. Se você só luta para reduzir os aspectos negativos, você apenas atingirá a média e deixará passar a oportunidade de superá-la.

    Você pode passar a vida inteira estudando a gravidade sem aprender a voar. Temos mais sucesso quando estamos mais felizes e somos mais positivos. Isso nos ajuda a perceber que padrão mental estamos mais conectados, por isso pondere qual é o seu modelo mental.

    Mentalidade ricaMentalidade medianaMentalidade pobre
    Você se percebe com sucesso em suas decisões, enxerga alternativas mesmo diante de dificuldades, busca aprender com pessoas, erros e estudos, joga para ganhar e corre o risco certo?Você não gosta de dedicar tempo para administrar suas finanças, não aceita receber por se sentir menor, evita doar e opta por vender apenas o suficiente para manter luxos específicos?Você apenas compra (mesmo que caro), tem uma visão limitada sobre os problemas, dedica seus recursos apenas para pagar contas essenciais, culpa outros por seus problemas?

    Dedicar um tempo para essa autorreflexão e construir uma nova jornada como casal passa necessariamente por se abrirem a identificarem padrões limitantes, que são fruto das nossas origens. É um exercício que requer esforço, autoconhecimento e clareza aonde se quer chegar.

    Em determinada fase da vida, não cabe eternizar a culpa aos nossos pais por algo que eles também não sabiam como conduzir, fizeram o melhor que podiam, com o que tinham disponível. É necessário assumir a consciência, a chance de assimilar, aprender por outras fontes e decidir encarar temas sensíveis de uma maneira diferente e mais assertiva para que haja um olhar de futuro e prosperidade como nova família que se forma.

    Dito isso, realizar sonhos passa a ser uma meta comum trabalhando nos pontos de melhoria que cada um de nós, como bons humanos que somos, temos a desenvolver em diferentes matérias da vida.

    Observe que nos métodos de gestão e controle financeiro há sempre um capítulo dedicado a fase DIAGNOSTICAR, porque será né? Ah entendeu?!

    É uma parte essencial para você compreender se há ou não um desiquilíbrio e assim direcionar medidas coerentes para cada situação encontrada. Quanto antes souber a dimensão do problema mais rápido encontrará o caminho para se livrar dele.

    Como DIAGNOSTICAR o seu “eu” financeiro:

    • Entenda seu padrão mental
    • Reflita o que pode mudar em relação a ele e como se propõe a fazer isso
    • Faça um levantamento dos seus rendimentos
    • Observe ao longo do mês o seu comportamento financeiro no detalhe
    • Anote os pequenos e grandes gastos
    • Descubra qual é o seu padrão de vida

    Esse é um processo contínuo que o casal passa a assumir e requer comunicação aberta, compromisso e planejamento conjunto.

    Relacionamento demanda confiança e transparência para se manter de forma saudável. Ambos devem conhecer a situação de ganhos e dívidas de cada um e organizar esse aspecto de forma eficiente. Omitir ou esconder do parceiro informações relevantes (dívidas e compras de grandes valores) é tido como infidelidade financeira e não queremos ver nada disso por aqui correto?!

    Que sejam prósperos em sua organização financeira, metas e realizações!

    Camila Duarte

    Publicidadespot_img

    FAVORITAS

    Mais recentes