Política de Cookies
quarta-feira, junho 19, 2024
Mais
    InícioColunasNa Ponta do LápisComo ter um seguro pode ajudar os casais em suas jornadas?

    Como ter um seguro pode ajudar os casais em suas jornadas?

    Em primeiro lugar, se você está me acompanhando aqui a cada artigo, quero deixar o meu agradecimento especial. A cada texto produzido deixo contribuições registradas nas nuvens desta rede e torço para que o conteúdo se conecte com casais que estejam precisando de alguma luz nos temas. Neste artigo eu resolvi escrever sobre seguro e separo em duas partes:

    1 – Seguro para a sua cerimônia

    Talvez essa seja uma opção não considerada pelos casais, pensar na possibilidade de ter um seguro para a cerimônia. Ao definir o seu projeto, junto com ele cabe identificar e ponderar quanto aos riscos associados versus o investimento dispendido, por isto o seguro trará ao casal uma tranquilidade maior na realização do evento.

    Não importa se estão organizando tudo sozinhos ou se há um respaldo de uma empresa, o seguro será bem-vindo para cobrir riscos como: eventuais prejuízos com acidentes pessoais ou coletivas durante a festa, intempéries naturais (possibilidade de chuva, granizo, vendaval e inundação) que trazem maior risco para queda de estruturas, explosões e incêndios, problemas com maquinário de cozinha, problemas na instalação, montagem e desmontagem de tendas e outras formações, a não utilização ou utilização indevida do local, atrasos e inconformidades no fornecimento e qualidade dos alimentos e bebidas, a guarda de veículos de terceiros e o não comparecimento de fornecedores e atrações, bem como possíveis defeitos com equipamentos oferecidos aos clientes.

    Os danos morais por cancelamento e adiamento da festa também podem estar contemplados no contrato. Logo, a apólice pode ser um grande guarda-chuva que dá conta tanto de uma eventual troca das flores para casamento como do arrombamento dos veículos dos convidados.

    Para uma análise assertiva da necessidade você precisa buscar um corretor de seguros que vai apoiá-los na decisão do melhor produto para a necessidade do evento.

    2 – Seguro de vida para a família

    Agora gostaria de explorar a importância do seguro para a família. E aqui trago a sábia frase “casal que se ama de verdade, que se apoia de verdade, já acertou na loteria”, do empresário Geraldo Rufino (fundador da JR Diesel, a maior empresa da América Latina em reciclagem e desmontagem de veículos).

    Considerando o ponto “acertar na loteria”, em seu sentido literal, são poucos os privilegiados que passarão por essa experiência na vida, concordam? Assim, o casal em algum momento passará pelo assunto educação financeira e terá que desenhar sua estratégia de formação de renda e patrimônio.

    Quando um casal não fala sobre dinheiro, cada um rema para uma direção, quase sempre ambos não saem do lugar, segundo Gustavo Cerbasi, escritor e consultor financeiro. Procure ajuda profissional, se esse for seu caso.

    Uma conversa que não poderá faltar para o casal envolve o ativo garantidor. Mas o que é isso?

    São aqueles produtos que diante de imprevistos garantem que o casal continue gerando renda e/ou não consumindo o patrimônio. A contratação desses produtos é essencial na fase de formação de reserva ou ainda para o processo sucessório porque garantem o legado familiar.

    Quem pensou em plano de saúde e seguro de vida, acertou! Juntos, eles geralmente consomem de 5 a 10% da renda líquida familiar. Estudos financeiros indicam que esse é um percentual saudável.

    Trago abaixo uma abordagem leve sobre o tema seguro de vida.

    Como trazer o tema de forma delicada com o marido ou a esposa?

    Seguro de Vida vai muito além da preocupação com morte precoce, principalmente se o casal ainda não tiver dependentes, mas o seguro em vida pode fazer toda diferença na estratégia familiar.

    Para casais jovens, adquirir proteções financeiras para Invalidez, Perda de Autonomia Pessoal, Internações, Cirurgias, Doenças Graves e Fraturas custa pouco, até porque o que garantirá a aprovação na contratação é a saúde e a idade.

    Colocar o assunto ao cônjuge, mostrando que se trata de autocuidado pode dar leveza. Para os racionais, os números não mentem, basta fazer o cálculo de quanto a falta da renda de um ou outro impactará no cumprimento das obrigações financeiras mensais.

    Que tal abrir o caminho para uma conversa com um corretor especializado?

    Esse profissional desenhará soluções sob medida para o casal e explicará as características técnicas dos produtos e condições gerais. Ele também cuidará dos trâmites para o pagamento de benefícios e acompanhará a família por toda a vida.

    Escolha corretores referenciados, seguradoras com alto nível de exigência, solidez, presença global.

    Um levantamento inédito realizado pela Edelman, conduzido em 2023, aponta que, entre os brasileiros que possuem algum tipo de seguro, apenas 41%, ou seja, quatro a cada dez, possuem uma apólice de vida.

    Dar espaço para esse assunto em família tratará no médio prazo a mudança cultural que nosso país anseia. Que tal dar esse primeiro passo?

    Camila Duarte

    Publicidadespot_img

    FAVORITAS

    Mais recentes